Informativo

Primeira tese defendida em cotutela do Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada (UFV) com a Universidade de Nebraska (EUA).

Cotutela-FelipeFigueiredo
Da esquerda para direita: Mary G. McGarvey (UNL), Lilyan E. Fulginiti (UNL), Felipe de Figueiredo Silva (doutorando), Richard K. Perrin (UNL), Fabio Mattos (UNL) e Marcelo J. Braga (UFV)

A tese “Tradeoff between agriculture and forest preservation in the Brazilian Amazon”, de autoria do estudante Felipe de Figueiredo Silva e orientada pelos professores Marcelo J. Braga (UFV), Richard K. Perrin (UNL) e Lilyan E. Fulginiti (UNL) e defendida no dia 23 de fevereiro de 2017, no programa de pós-graduação em Economia Aplicada na Universidade Federal de Viçosa (UFV) e no programa de pós-graduação em Economia Agrícola da University of Nebraska-Lincoln (UNL), teve como objetivo estimar o custo de oportunidade da preservação da Floresta Amazônica e o impacto dos avanços tecnológicos na relação entre agricultura e preservação da Amazônia no Brasil.De acordo com esse estudo, o preço de uma tonelada de CO2, utilizado pelo governo brasileiro a fim de angariar fundos para a preservação da floresta Amazônica, está subestimado. Inicialmente, o estudo procurou estimar a fronteira de possibilidades de produção usando o modelo directional output distance functions a partir de dados obtidos em âmbito municipal. Essa estimação permitiu identificar o custo de oportunidade da preservação da floresta e os impactos dos avanços tecnológicos na região. Os resultados mostraram que, para preservar um hectare de floresta Amazônica, os municípios, anualmente, deveriam abrir mão de cerca de US$ 800,00. Medidas de conversão entre 01 hectare de floresta e a quantidade de carbono sequestrada pela floresta permitiram estimar que o custo de manter sequestrada 01tonelada de CO2 na floresta são, pelo menos, US$ 14.00. O que é, significativamente, mais alto do que o utilizado pelo governo, US$ 5.00, e os reportados na literatura sobre o tema. Os resultados indicaram, ainda, que o progresso tecnológico foi direcionado a um aumento da produção agrícola, incorrendo em menor acréscimo de desmatamento.

Fonte: Felipe de Figueiredo Silva

 

BUSCA NO SITE

Endereço

Curso de Pós-Graduação em Economia Aplicada
Departamento de Economia Rural
Avenida Purdue, s/nº, Campus Universitário
Edifício Edson Potsch Magalhães
Prédio Anexo, 1º Andar, Sala 105
36570.900 – Viçosa – MG – BR
Tel.: +55 (31) 3899-2214 (Secretaria)
E-mail: ecr@ufv.br

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress