Informativo

Inovação ambiental na indústria brasileira é analisada no Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada

A tese “Inovação Ambiental: determinantes e impactos sobre a produtividade da indústria brasileira”, de autoria da doutoranda Maria Alice Ferreira dos Santos, orientada pelo professor José Gustavo Féres, foi defendida no dia 12 de dezembro de 2016, no programa de pós-graduação em Economia Aplicada. A tese teve por objetivo analisar os determinantes da adoção de inovações ambientais e o seu impacto sobre a produtividade da indústria brasileira no período de 2000 a 2011. Para tanto, realizou-se uma análise empírica em nível da firma com os dados da Pesquisa de Inovação Tecnológica (PINTEC) e da Pesquisa Industrial Anual (PIA). Os resultados evidenciaram que as firmas que pertencem à atividades econômicas menos intensivas em tecnologia adotam mais inovação ambiental. Uma vez que esses setores são os que menos gastam com atividades inovativas, devido à falta de recursos ou capacidade próprios, a realização de algum tipo de inovação pode ser suprida por mais incentivos recebidos do governo em comparação com as firmas mais intensivas em tecnologia, que são as que mais investem em atividades inovativas. Ademais, os setores mais intensivos em tecnologia foram os que mais se adequaram às normas e regulamentos. Nesse sentido, percebeu-se que, em relação aos determinantes da inovação ambiental ampla e restrita, a regulação ambiental é um fator importante para impulsionar a inovação ambiental. Verificou-se ainda que a adoção de inovação ambiental é setorialmente heterogênea e depende tanto da indução dessa inovação pela regulação quanto das características dos setores e da capacidade de resposta de cada firma. Em relação ao impacto da inovação ambiental sobre a produtividade, os resultados mostraram que tanto a inovação ambiental restrita quanto a inovação ambiental ampla influenciaram positivamente a produtividade das firmas, de modo mais expressivo em relação à inovação ambiental restrita e apontaram ainda que a regulação afeta positivamente a produtividade das firmas e, consequentemente, a competitividade das firmas.

Fonte: Maria Alice Ferreira dos Santos

Tese_Maria Alice
Da esquerda para a direita: Evaldo Silva e Jader Cirino (membros da banca), Maria Alice Santos (doutoranda) e José Gustavo Féres (orientador)

 

BUSCA NO SITE

Endereço

Curso de Pós-Graduação em Economia Aplicada
Departamento de Economia Rural
Avenida Purdue, s/nº, Campus Universitário
Edifício Edson Potsch Magalhães
Prédio Anexo, 1º Andar, Sala 105
36570.900 – Viçosa – MG – BR
Tel.: +55 (31) 3899-2214 (Secretaria)
E-mail: ecr@ufv.br

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress